Há um lugar aonde todos vão se encontrar. Há um lugar onde não há nenhum tipo de restrição, pois todos vão fazer parte. Há um lugar onde pessoas de qualquer religião podem entrar. Há um lugar onde homens e mulheres de qualquer posição social irão comparecer. Este lugar é o cemitério. Você pode até não aceitar, mas lá todos nós vamos nos encontrar.

Interessante que nós, seres humanos, buscamos diversas formas para classificar pessoas. Usamos a religião para classificar pessoas certas e erradas. Usamos a riqueza pra classificar pessoas importantes e menos importantes. Usamos a aparência para classificar pessoas bonitas e feias. No cemitério não há nenhum tipo de classificação, todos são iguais. No cemitério não há religião, dinheiro ou aparência que possa livrar alguém da realidade de um dia ir para este lugar.
Como seria bom se o nosso dia-a-dia fosse igual ao cemitério. Como assim? Isso mesmo, como seria bom se a vida real não tivesse nada que distanciasse as pessoas umas das outras. Como seria bom se a vida social não fosse critério para definir o valor humano da pessoa. Pois na morte, no cemitério todos são iguais. Todos vão e nunca mais voltam. Todos se decompõem e o corpo de todas as pessoas caminha para a inexistência física.

Na realidade todos são iguais, pena que a maioria de nós ainda não tem consciência disso. Ainda somos iludidos em pensar que somos melhores que alguns, que outros são mais importantes, e que outros têm maior valor que outros.

Nós somos todos iguais, eu realmente acredito nisso!