Falamos tanto sobre o nosso livre arbítrio, mas você já se perguntou: Deus também tem livre arbítrio? Se Deus tem livre arbítrio então Ele pode fazer o que quiser fazer, mas será que nós realmente queremos que Deus faça a vontade dele?

Defendemos o nosso livre arbítrio, mas geralmente quando vamos falar sobre Deus aí é diferente, pois colocamos diversas condições e limitações pra Deus agir. Por exemplo, defendemos o nosso direito de escolher nossas amizades, mas Deus não pode escolher pessoas, Deus não faz acepção, então Deus não tem direito de escolher um amigo mais chegado. Então nós temos livre arbítrio, mas Deus não tem, é isso?

Ficamos irritados quando imaginamos a possibilidade de Deus ter abençoado alguns e não ter nos abençoado. Ficamos assim, pois na realidade não queremos um Deus com livre arbítrio, queremos e desejamos um Deus que não tenha vontade própria, mas um Deus que faça somente a nossa vontade. Queremos um Deus no qual nós podemos controlar. Deus se tornou apenas um recurso a mais para realização dos nossos desejos. Agimos como se Deus estivesse dento do nosso controle.

Então se Deus por acaso decidir ajudar um time de futebol a vencer um campeonato, vamos nos revoltar contra Deus e chamá-lo de injusto ou algo do tipo. Mas é tudo bem quando escolhemos somente alguns amigos para um jantar em nossa casa, pois temos o direito de decidir a nossa vida, mas Deus não pode. Dessa maneira fica parecendo que Deus é limitado e nós somos ilimitados. Se realmente for assim, nós que somos Deus, pois Deus não tem controle de nada, pois simplesmente não autorizamos Deus exercer o livre arbítrio.

Neste texto não quero dizer o que Deus é, mas quero tratar da maneira que olhamos pra Ele. Neste texto quero questionar nosso amor por Deus. Neste texto quero te fazer pensar se realmente nós amamos a Deus a ponto de respeitar qualquer coisa que ELE queira fazer. Quem ama a Deus respeita suas decisões, mesmo que diferente daquilo que desejamos. Precisamos parar de tratar Deus como sendo nossa fonte segura de realizações pessoais.

Como posso dizer que amo a Deus, mas fico impondo a forma que Deus deve agir. Como posso dizer que amo a Deus, sendo que fico colocando limites e condições pra Deus fazer ou não fazer algo. Como posso dizer que amo a Deus, sendo que nunca deixo Deus ter livre arbítrio. Então fica a pergunta: Vamos ou não vamos amar a Deus? Em outras palavras, vamos ou não vamos aceitar todas as vontades de Deus? Lembre-se, Deus também tem livre arbítrio.